sexta-feira, 23 de outubro de 2009

O mundo pesa nas costas, não ?

Começo neste texto a pagar uma dívida de uns 4 meses atrás, quando numa noite de sexta-feira como a de hoje tive uma conversa reveladora, por MSN, com um velho amigo. Gostei tanto da conversa que até a salvei e me comprometi de digitaliza-la aqui. Ah, o título é uma frase da conversa, que por sinal não foi dita por mim.

Como bons amigos que somos, falamos de diversas coisas, criamos até teorias, até que chegamos num assunto crucial que me fez querer digitalizar a conversa em um texto. Falávamos da falta de espontaneidade no agir das pessoas, até que surge a observação:
"X" diz:
se fabricam cérebros hoje



O tema está meio vago até agora, né? Não, eu não sou hippie e não vou lhe falar de um assunto hippie, revolucionário ou comunista. O simples fato de você me achar assim já reflete que uma parte de seu cérebro foi fabricada, afinal, falar de temas abstratos é tido socialmente como "coisa de hippie", de revolucionário esquerdista. Eu também comecei esse blog assim, lembra de quando eu critiquei isso no "Tempo, tempo, tempo..." ? Então, meu cérebro também foi fabricado, mas desde aquele dia eu parei de levá-lo na manutenção da Rede Globo e da Revista Veja; tá eu confesso, de vez em quando eu passo por lá, mas é só pra adicionar um arquivo de "assuntos para puxar papo com poutras pessoas". Ah, no "Tempo, tempo, tempo..." eu critiquei os filósofos, mas nisso eu não mudo, continuo achando-os um bando de egoístas.

Voltando a falar dessa fabricação de cérebros na atualidade, será que tem como fugir dessa produção em massa? Sim, doutores, e eu já dei a resposta antes, sabe qual é? PENSANDO. Querem nos dar todas as respostas, o que nos é cômodo, mas se quisermos pensar nunca seremos fabricados, pelo menos não totalmente. No livro "1984" de George Orwell (leia, é simplesmente espetacular), por exemplo, o Estado controla e vigia todos os comportamentos das pessoas, mas não consegue saber o que elas pensam. Sim, amigo, podem te impedir de agir, mas nunca de pensar, nunca saberão o que passa na tua cabeça, isso só você sabe e só você pode controlar. Você tem a chave da sua liberdade!




Ok, te dei uma dica, mas não a solução, pense em uma solução na sua cabeça (eu adoraria adivinhar o que você tá pensando agora, talvez esteja achando que eu seja algum tipo de louco). Sabe porque fabricam nossos cérebros? Porque deixamos. Sim. Você não pensa porque quer, você aceita soluções prontas porque não quer pensar e produzi-las, você quer manter-se dominado, você deixa que dominem os seus pensamentos. Lembra o que eu disse antes? Ninguém pode controlar o que você pensa. Contudo, nada impede que fabriquem o que você vai pensar; não é uma ótima forma de controle? Pronto, agora você já sabe como se fabricam os cérebros.

Você se sente desmotivado pra pensar? Isso é normal. Amigo, andam te desestimulando a pensar, uma das armas é a "socialização da mediocridade" (créditos ao professor Geraldo pelo termo), estão, por exemplo, despolitizando as pessoas, sabe como? Veja como estão usando a mídia na atualidade, veja como é construtiva a programação das TVs. Por que passa novela toda hora? Por que há mais de 15 anos passa Domingão do Faustão? Essa internet que só incentiva o ócio... Você passa mais tempo colhendo informações ou olhando coisas aleatórias, como esse blog, na internet? Quem banca a imprensa? Quem detem os meios de informação? A elite, certo? É óbvio que só vão veicular informações que estejam de acordo com os seus interesses. Ué? Estranho? Claro que não, se você é o dono, você vai deixar veicular informações que vão contra os seus interesses? Seja sincero... O problema todo é que eles negam que fazem isso, não assumem, dizem assim: "Somos imparciais e blá blá blá blá".


http://4.bp.blogspot.com/_HHw6xbiINHc/ScEUBG3kv9I/AAAAAAAAAjs/XI0slARIDZY/s400/bbbbb.JPG


As mídias fugiram do controle, não estão mais ligadas aos seus objetivos iniciais, o jornalismo , por exemplo, não se pauta nos fatos, mas no interesse financeiro dos detentores e parceiros dos meios de comunicação. Hoje, as mídias são instrumentos de dominação, do pior tipo de dominação: da dominação intelectual. Conduzem nossos pensamentos para um caminho desejado por elas e a gente aceita por não estar afim de pensar ou não ter tempo para isso (afinal trabalhar o dia todo não deixa tempo para pensar).

Sabe quem poderia nos ajudar a fugir dessa dominação? O universitário. Temos tempo para pensar e somos a elite do saber, mas não usamos e nem queremos usar nossos conhecimentos de mundo para acordar a sociedade. Enquanto essa elite universitária ficar só queimando as células cerebrais fumando maconha e ficar discutindo os problemas da sociedade somente dentro da universidade, apenas no campo teórico, não vamos ter revolução alguma. Esses putos falam de Marx lá dentro da Universidade e esquecem de que se só eles pensarem em revolução e deixarem as mídias guiarem o povão aqui fora nada vai sair. Eu odeio esses marxilóides, enchem a boca para pregar ideias que não eram nem do próprio Marx, ideias deturpadas e mal interpretadas ao longo do tempo. Hoje, nem Marx seria marxista, e eu muito menos.


O universitário fica discutindo o mundo e o universo dentro da Universidade, pensando com outras pessoas que pensam, não leva a luz do saber a quem não pensa, a quem tem quase 100% do cérebro fabricado. Enquanto isso as elites estão trabalhando, elas veem o potencial desse povo que não pensa; esse povo é como um gigante dormindo. As elites tocam flauta para ele continuar dormindo, enquanto isso, cadê os pensadores? Estão fumando maconha e pensando em cima da barriga do gigante que dorme. Os pensamentos podem ser egoístas e é assim que os pensadores de hoje querem que seja, querem pensar para eles mesmos e somente entre eles, deixando o gigante dormir ao som da flauta. É essa mesma a realidade?

"X" diz:
SIM

"Don Quasímodo" diz:
vc discorda de algo dito?

"X" diz:
não
"X" diz:
O mundo pesa nas costas né "Don Quasímodo" ...

"Don Quasímodo" diz:
cara, o q vc pensa ao dizer essa frase?

"X" diz:
acho que vocÊ entende o que estou dizendo


http://1.bp.blogspot.com/_eLm7wqpA8jM/ReptCeDnCRI/AAAAAAAAABM/mUTUW985kvo/s320/josias+e+o+mundo.jpg

Sim, amigo, eu entendi o que ele quis dizer e creio que se o mundo não pesa nas suas costas, deveria pesar. Se você não tem um cérebro 100% fabricado, você tem um dever em relação ao mundo, você sabe qual. Os ombros podem suportar o mundo, cérebros livres podem salvar o mundo. Somos fortes para isso, não sozinhos é claro. Temos que lutar, lutar no limite de nossas forças, sempre. Vamos fechar as fábricas cerebrais. Vamos montar nós mesmos os nossos cérebros, ainda há tempo!